Notícias
24 de julho de 2017 Rangel

Boxe

Floyd Mayweather vs Conor McGregor – um excelente entretenimento, mas bom para as apostas?

A nobre arte volta a estar no centro das atenções. Para muitos, o maior lutador do século – entre os melhores da história -, Floyd Mayweather, volta da aposentadoria para desafiar o nome do momento das artes marciais, Conor McGregor, em um combate que deve bater todos os recordes possíveis em movimentações financeiras e em suas variantes. Mas também será bom para os apostadores ao redor do mundo?

Ser bom no boxe e ser bom no MMA, em meu entendimento, são coisas distintas. O boxe, na teoria, lhe da mais técnica, movimentação e faz o lutador tornar-se mais resistente as pancadas. O MMA pode ser menos intenso em movimentações, mas é mais insano na absolvição de golpes em uma maneira geral, sendo infinitamente mais variável nas possibilidades de conclusão do mesmo, mas obviamente, não lhe faz ser um lutador de boxe melhor. A luta ocorrerá no boxe, né?

Desta forma, dá para se entender quando vemos a odd do favoritismo de Floyd Mayweather ser de apenas 1.16. A sua movimentação no ringue é acima da média, a sua resistência, quando testada, passou com louvor e seu cartel de invencibilidade no boxe, fala por si só. Porém, o tempo no qual gastou mais nas redes sociais vangloriando-se do seu império financeiro adquirido, a falta de ritmo de luta, pode ser um obstáculo.

McGregor não tem chances então? É isso? Não vejo desta forma. Eu sou daqueles que achava o irlandês melhor fora do combate, utilizando-se dos microfones, mas o mesmo conseguiu, nada mais, nada menos, do que dois títulos no UFC, em duas categorias diferentes – acabando com o reinado de José Aldo em apenas 13 segundos, vencendo um atletas mais acostumado a categoria de cima com facilidades. Em todos os seus feitos no MMA, chamou a atenção a sua máxima confiança – por vezes, intimidadora – e o seu poder nos golpes – com muita precisão -, abrindo caminhos, definindo destinos. O seu preparo físico e a sua absolvição de golpes, porém, ainda carregam dúvidas.

No boxe, as chances de recuperação do atleta após sofrer um duro golpe são maiores que no MMA. Sendo assim, a combinação de precisão e força de Conor McGregor – levando-se em consideração que o mesmo, em teoria, não tem a experiência em ringue como a maioria de grandes atletas que Floyd Mayweather enfrentou em uma carreira invicta – podem ser minimizadas, principalmente se o americano estiver em dia com a sua preparação física – exigindo algo a mais e rotineiro, possivelmente, do que a força no golpe e precisão.

É claro, tudo pode mudar com um golpe preciso, a tática acertada, entre outros fatores, mas se olhar friamente para o que este novo “duelo do século” apresenta, possivelmente, se valerá mais a pena como entretenimento para se assistir, mas sem pensar tanto em lucrar em apostas, já que a odd para o favorito é baixa – 1.16 – e a do azarão – variando entre 5.00 e 5.50 nas casas de apostas -, parece não ter o valor real.