Notícias
Apostas esportivas, picks e cotações para o Brasil
23 de março de 2017 Leonardo Rangel

Copa do Mundo

Argentina vs Chile

Forma Argentina

Respirou, mas ainda precisa de mais, muito mais! A Argentina voltou a ter uma atuação do padrão mais próximo do que se imagina para si, goleando a Colômbia em casa com um contundente 3×0. Porém, o resultado só lhe permitiu chegar a zona de classificação para a repescagem. A melhoria precisa seguir.

Novamente em seu lar e diante outro rival direto e algoz de suas duas últimas grandes frustrações – responsável pelo bi-vice da Copa América -, a Argentina espera conseguir confirmar a evolução apresentada diante da Colômbia, mostrando dedicação e efetividade para fazer com que a sua grande qualidade ofensiva venha a fazer novamente a diferença para si, colocando a Argentina na zona de classificação para a Copa do Mundo.

O técnico Edgardo Bauza não contará com Paulo Dybala, lesionado.

Forma Chile

O Chile também estava a ter muitos problemas. Mesmo sendo atual bicampeã do continente, o Chile estava com dificuldades para conseguir emplacar nas Eliminatórias, mas com três jogos de invencibilidade – duas granes vitórias em seu lar neste trecho – conseguiu alcançar a zona de classificação para a Copa do Mundo e por lá quer continuar, evidentemente.

O Chile ainda procura uma maior afirmação tática, mas voltou a jogar de maneira unida, coletiva, e quando existe espaços para a sua linha de frente funcionar, os bons resultados voltam a lhe acompanhar, como no trecho atual. Com um histórico ruim longe de seu lar, mas com a autoestima em alta para encarar um rival no qual triunfou por duas vezes nas grandes finais da Copa América, o Chile espera conseguir ser capaz de ser forte taticamente – seja como for – para buscar alguma pontuação.

O técnico Juan Pizzi não contará com Arturo Vidal, suspenso. Gary Medel e Alexis Sánchez, com pequenas lesões, podem ficar de fora.

Nossa Dica

O Chile vem mostrando algumas evoluções, mas tem sido mais forte diante seus torcedores e para hoje, apesar da autoestima elevada para enfrentar um rival que aprendeu a não temer, poderá ter mais dificuldades por conta dos pesados desfalques que deverá ter. A Argentina vem com, praticamente, a sua força máxima para este confronto, tendo evoluções recentes a lhe impulsionar, jogando em casa e com Messi a lhe guiar. Sim, merece favoritismo, apesar de ser um jogo difícil, de fato.